Friday, March 07, 2008

Atlântida

Yesterday, the future "Atlântida", presently ENVC hull nº258, was floated and shifted from the construction platform and positioned inside drydock nº1, waiting for high water. Today, at 0000 lt, she was shifted with the help of two tugboats to the fitting berth, tasting for the first time the feeling to be sailing...
It is now clear that she will be a very beautiful lady when all the makeup is finished!
Enjoy these pictures taken during the morning.

The bridge is impressively spacious and, although being fully enclosed, the visibility is excellent either aft and forward since the wings are protuberant from the hull. Obviously there is still nothing inside the wheelhouse.

Beautiful lines!

The port quarter, showing the stern ramp.

No doubts about her name.

Overall view.

22 comments:

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Que pinta de navio, muito melhor que o projecto inicial sugeria...Em breve vou ai...

James_Bond said...

Ao Fim de problemas com o Golfinho Azul, Com Ilha Azul, pro ano espero andar no atlantida pro ano entre s.miguel e terceira

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Caro Malheiro, não resisti e roubei-lhe uma imagem do ATLÂNTIDA que meti no meu blog com um link para o seu...
Um abraço

LMC

Farinha said...

O navio começa a tomar forma.
Fico muito satisfeito com a dinâmica dos Estaleiros de Viana do Castelo.
Ao lado do "Atlândida! encontra-se o "Volcan de Tijarafe". Será possível a obtenção de fotos deste navio espanhol? é que pretendia fazer um artigo no meu Blogue, pelo facto deste ferry efectuar viagens entre as Canárias e a Madeira no próximo Verão.

Malheiro do Vale said...

Luís Miguel,

Fez muito bem!

Malheiro do Vale said...

Caro Paulo Farinha,

Vou postar algumas fotos do Volcan de Tijarafe, utilize-as à vontade.

paulorenato said...

lindas fotos,esta a ficar muito bonito,espero que na hora dde o pintar nao venham com cores aberrantes,gostava de o ver com as cores da antiga insulana mas com casco branco, espero dar uma volta nele para o ano quando for a S.Miguel
Um abraco do Canada

Malheiro do Vale said...

Caro Paulo Renato,

Pode ver uma antevisão aqui:
www.envc.pt/navios/n258/navio_258_profile_cor.JPG


Obrigado pela visita!

paulorenato said...

Parece ficar com as cores da transinsunlar,confesso nao ser adepto destas cores num ferry/paquete mas... podia ser pior.
Obrigado pela informacao!

barconauta said...

Sim senhor está mais bonito do que parecia no projecto inicial. Deviam eram surgir mais propostas destas para os ENVC pois era uma aposta na construção naval portuguesa. Já se fala em concorrência para o "Atlântida", ainda nem ele entrou ao serviço, mas dizem tratar-se de catamarãs, vamos lá ver se são de produção nacional, desconfio que não...Sucesso a este navio!

barconauta said...

A porta da popa até parece os ferries da BC (British Columbia) por ser arredondada. Amigo arranje-nos mais fotos deste navio e também do ferry espanhol que fez uma excelente aposta em vir para portygal dar os últimos retoques! Estamos a ficar excelentes na construção de ferries e conhecidos, o que já não é nada mau!

Silva said...

Caro senhor barconauta, os catamarãs que irão fazer "concorrência" ao Atlântida já estão construidos e não são de construção nacional (penso que em Portugal ainda não se construiram ferries deste género). Os catamarãs que estão previstos para realizar essa dita concorrência (não designo concorrência pois preferia viajar a 35 nós em vez dos 19 nós do Atlântida), são o HSC Jade Express e o HSC Zara Jet (ou outro da mesma classe). Quanto ao terceiro catamarã ainda não sei o seu nome.
Nota: o custo destes três catamarãs será aproximadamente metade dos dois novos navios encomendados pela Atlanticoline, um deles o MS Atlântida.

barconauta said...

Caro amigo Sr.Silva vejo que o termo concorrência não lhe agrada mas em economia e quando se trata de um mercado, que é este o caso, o termo correcto é concorrência, uma vez que para o mesmo tipo de actividade existirá mais do que uma oferta, felizmente!
O mesmo não se pode dizer da ligação Madeira-Porto Santo!
Os catamrãs não são de construção nacional e são super baratos, pelos vistos, dado isso lanço-lhe um desafio, porque não uma maior expansão da sua oferta a nível nacional? Visto que corremos seriamente o risco de ser "invadidos" pelos ferries de outro país? É que o transporte aéreo não é opção para quem gosta realmente do mar...

Farinha said...

Caro Barconauta
Pego na sua frase: "Visto que corremos seriamente o risco de ser "invadidos" pelos ferries de outro país? É que o transporte aéreo não é opção para quem gosta realmente do mar..."
Com certeza! Portugal desinteressou-se da Macaronésia portuguesa maritimamente. Portugal não contava do mapa de ferrys da Europa por incrivel que pareça.
E...finalmente a Naviera Armas colocou Portugal no mapa de ferrys.
Este armador tem encomendado nos estaleiros de Vigo, 4 navios ferry com 178m de comprimento por 26,40 m de largura, podendo transportar 5.000 toneladas de carga rodada. Fabuloso, não é verdade? o primeiro é para ser entregue em 2010. E...a Madeira que estava refém do transporte aéreo, fica menos isolada com a opção ferry. Ninguém neste país teve a visão de Don António Armas. Bem haja!

Verdade Fria said...

Barconauta escreveu: "Caro amigo Sr.Silva vejo que o termo concorrência não lhe agrada mas em economia e quando se trata de um mercado, que é este o caso, o termo correcto é concorrência, uma vez que para o mesmo tipo de actividade existirá mais do que uma oferta, felizmente!
O mesmo não se pode dizer da ligação Madeira-Porto Santo!". Meu caro, coitado do mercado dos Açores para ferrys, comparado com o da Madeira. Se há mercado com dimensão para ter concorrência, é o da Madeira. Jamais o dos Açores. Basta ver os míseros passageiros que a atlanticoline transporta num ano e compara-lo com o que a Porto Santo Line transporta no mesmo ano. Já para não falar dos ferrys da Armas para Canárias e Continente, desde a Madeira. Vem falar de catamarans, eu para mim, aquelas ligações "em barcos de pesca" entre as ilhas do grupo central dos Açores nem deviam contar para a estatistica, senão qualquer dia estamos a contar os pax de cacilheiros em Lisboa e a chama-los de pax de ferrys. Mais! Se houvesse concorrência numa mesma linha nos açores, um das companhias ficaria deficitária, senão mesmo as duas! Sejamos realistas. Não há par de ilhas nos açores que aguente o número de ligações por ferry (e atenção à dimensão do ferry!), que aguenta uma linha Madeira-Porto Santo. É comparar alhos com bugalhos.

Anonymous said...

quoting barconauta: "o termo correcto é concorrência, uma vez que para o mesmo tipo de actividade existirá mais do que uma oferta, felizmente!
O mesmo não se pode dizer da ligação Madeira-Porto Santo!". Santa estupidez! O mercado para ferrys nos Açores é um grão de areia comparado com o mercado da Madeira. Compare-se o número de pax anuais da Porto santo Line com o da atlantico line. Dá vontade de rir. Na Madeira existe também a Armas para as Canárias e Continente. Nos açores o que vc tem são "uns barcos de pesca" e catamarãns mais pequenos que os que andam no Tejo, a fazer linhas no grupo central, mais curtas que certas ligações feitas por cacilheiros, para o montijo. Os Açores não têm um par de ilhas com mercado que aguente um ferry com ligações diárias, quanto mais concorrência na dita linha. não comparemos alhos com bugalhos. O verdadeiro mercado ferry nos Açores é sazonal. Ainda estou para ver o que é que este ferry "atlântida" (que por sinal é mais pequeno, tem menor capacidade e é mais lento que o "Lobo Marinho") vai fazer lá no inverno, quanto mais aguentar concorrência seja de que espécie fôr. Os Açores não são a Madeira ou as Canárias. Tenhamos os pés na terra! A linha Madeira-Porto Santo aguentaria concorrência. As linhas dos Açores, jamais! (A não ser que faça 1 ligação por semana, o que para mim isso nem "serviço de Ferry" se devia chamar!). Nem a atlanticoline é sustentável nos Açores no Inverno, quanto mais ter ainda concorrência.

Anonymous said...

caro Anonymous...para que falar mal dos acores?,para que colocar a ligacao madeira - porto santo bem la no alto?,vc bem ve que a pobre ligacao madeira - porto santo,foi preciso a SATA ir dos Acores tapar o buraco deixado pela outra companhia que abandonou a ligacao M-PS pelo facto de nao ser nada rentavel e vc agora diz uma asneira destas?;e verdade que a pagina da aviacao e diferente desta,mas ao ler tamanha asneira da sua parte,nao pode ficar de boca fechada porque se vc olhasse para si,via logo que estava bem enganado acerca da Madeira que ate nem companhia de aviacao tem...

Anonymous said...

O comentário do anónimo atrás mostra como é burro. Disse bem.. "isto não é aviação" (nem é a SATA que por acaso é sustentada pelos impostos de todos nós, incluindo os madeirenses). Se não fosse burro, sabia que a ligação aérea entre a Madeira e Porto Santo (que terá sempre mais passageiros que qualquer outra nos Açores inter-ilhas), sofre e bem com a concorrência do ferry que só o ano passado movimentou quase 400 000 pax entre as duas ilhas. Se não fosse o ferry, a SATA teria de usar JUMBOS para o Porto Santo pa dar conta do recado! É como eu digo.. quem não sabe mais vale tar calado. Fale do que sabe (pesca?... criação de gado?). Se não percebe nada de navios ou do mercado de ferries, vá pregar com os seus "teco-tecos podres ATP" pra outra freguesia. É que a brincadeira da Atlanticoline (mais uma sustentada pelos impostos de todos nós, especialmente dos madeirenses que dispensaram milhões para serem desviados para os Açores com a história do "ai coitadinhos dos Açoreanos que são pobrezinhos, temos de ser solidários com os nossos irmãos insulares") já custou caro com o ferry "atlântida" (vulgo fiasco) a ser recusado. A portoSanto line na Madeira é privada e não deve explicações a ninguém (e dá lucro!), agora a Atlanticoline vai ter de explicar e muito! Já agora, eu se fosse a si tava calado em relação à SATA porque no dia em que levarem um pontapé da Madeira pra fora, não sei o que vão fazer com os aviões que ficarem parados por falta de mercado. Só não levaram ainda, porque como são pequenos, ninguém se incomoda convosco por estes lados, isto é... até a FlyMI se implantar e o Alberto vos der ordem de despejo. (Já agora a FlyMI será privada). Vc meta uma coisa na cabeça de uma vez por todas: Tudo o que existir nos Açores (seja companhia aérea ou de ferries), será sempre com o dinheiro do zé povinho (empresa de capitais públicos a 100%!), pois não há mercado para que algum privado lhe pegue. O Grupo Sousas (Açorline, PortoSanto line, ENM etc) é que fizeram bem em se porem a andar daí porque viram que era um caso perdido e a esta hora estão a rir a bandeiras despregadas desta barraca do "submarino" Atlântida que duvido muito haja alguém em seu perfeito juízo no mercado que o compre, a não ser quase dado.

Corte a Frio said...

Em relação ao anónimo açoreano, ninguém precisa colocar a ligação Madeira - Porto Santo bem lá no alto. Ela coloca-se a si própia. Basta fazer contas: A SATA além dos paxs que já transporta na dita linha, jamais conseguiria transportar os 400 000 paxs adicionais da ligação de ferry, se o ferry deixasse de existir (coitadinho do ATP.. muito ia ter de voar). Linha deficitária? Só se fôr para companhias de aviação toscas que não conseguem aguentar a concorrência das ligações maritimas. E o governo açoreano que mandou fazer um ferry (que afinal foi rejeitado) que nem carga rodada podia levar, alguma vez espera que as pessoas nos Açores tenham a qualidade de vida (implica qualidade de transportes, frequências etc), que existem nas regiões insulares mais a sul? Em sonhos talvez... E prepare-se o contribuinte português, porque esta atlanticoline preparava-se pa tentar encher o ferry à custa de borlas de "pague 2 euros e dê a volta pelas ilhas todas", ou seja, dando prejuízo à conta do dinheirinho de todos nós, sim.. porque aquela "coisa" é de capitais públicos a 100%.
E uma última nota, quem sustenta as deficitárias ligações aéreas interilhas nos Açores mais uma vez somos nós zé povinho de todo o país. Saía mais barato pôr lá nos Açores só uns soldados a guardar aquilo, e o resto da população realojar no Continente ou na Madeira. Não somos país rico pa andar a sustentar ilhas que dão prejuízo. E "o pior" é que com a crise, já muita gente começa a pensar nisto seriamente. Eu, sou um deles.

Rolo Compressor said...

Parto-me a rir quando alguém andou a dizer por aí que estavamos a ficar "prós" na construção de ferries, e que já tinhamos provas dadas com o da PortoSanto line etc etc. Por acaso essa gente lembra-se que o casco do Ferry "Lobo Marinho" foi feito na Rússia e rebocado para Viana do Castelo onde practicamente foi feito apenas um "aprestamento", pintura etc? Prós na construção de ferries? Esta gente tá louca. Até a decoração e arranjos interiores do dito, ficou a cargo duma empresa grega. Prós são os dos astilleros Hijos Barreras em Vigo que já fazem mais ferries e Ro-Rós por ano, que as vezes que muita gente na margem sul toma banho. Achei piada também no "açoreano" que vem para aqui defender a SATA (que nós sustentamos com os impostos e ainda vamos sustentar mais esta Atlanticoline). Querem ter companhias de transporte, sustentem-nas vcs com os privados. Se nenhum privado quiser pegar nisso, emigrem! Isto na Madeira jamais se passaria. O mal disto é o PS estar no governo... Aliás o mal disto, é o país resolver fazer todo ele um esforço para aguentar ilhas deficitárias. Já basta a CP e a Carris a sorverem dinheiro "hemorragicamente". Já querem fazer o mesmo com esta atlanticoline, que fazem com a SATA, principalmente a regional: "Não interessa dar lucro.. o que interessa é servir meia dúzia de gatos pingados para irem desde "cú de judas I" para "Cú de judas II". Privatize-se! Se ninguém pegar, feche-se, ou melhor.. nem se abra!

Gran Madeira said...

quoting Anonymous: "vc bem ve que a pobre ligacao madeira - porto santo,foi preciso a SATA ir dos Acores" LOL.. Este não joga com o baralho todo. "pobre ligação"? Iam ser necessários todas as "avionetas" da SATA para darem conta dos passageiros todos desta linha, caso a Porto Santoline deixasse de existir. Só asneiras, e ainda vem dizer que o outro é que disse uma asneirada. Oh homem... fique-se pelos blogs de aviação, e mesmo assim, aprenda a fazer contas.

Quero o Dinheiro de Volta said...

O governo regional dos Açores no fundo tem nos ferries um grande dilema: Se algum dia conseguisse ter as ilhas mais pequenas ligadas por ferry diariamente (durante todo o ano) às ilhas maiores, como acontece com a Madeira e Porto Santo, dava uma machadada final na SATA Air Açores. É óbvio que uma das "sorvedoras públicas de dinheiro do estado" teria de acabar, porque como disseram ali atrás e bem, aquilo não é a Madeira e o Porto Santo, e não haveria mercado para as duas opções. O própio presidente da SATA argumentava que as ditas ligações aéreas interilhas seriam sustentadas pelos lucros obtidos com os voos regulares e charters da Madeira. As ligações entre a Terceira e São Miguel, por ex. para aguentarem mais do que um voo por dia, têm de ir buscar passageiros a outras ilhas como São Jorge, Faial etc, e por isso mesmo na realidade não são voos Terceira-Ponta Delgada mas sim voos Horta-Ponta Delgada ou São Jorge-Ponta Delgada com escala na Terceira. E realmente começo a ficar ligeiramente irritado com o que foi feito com os milhões que a Madeira deixou ir a mais para os Açores. Toda a gente sabia que este estaleiro não tinha experiência nenhuma na construção de ferries ou Ro-Ro´s, e começo a tremer só de pensar que o LPD para a marinha (mesmo que o projecto seja de origem alemã) seja feito nos mesmos estaleiros. É que mais uma machadada destas no orçamento de estado género "fundo perdido" pode ser fatal para o país.